Ser multitarefa e seus limites

Homem multitarefas
Mulher em frente ao computador, falando ao celular e vendo outro celular ao mesmo tempo.

No mundo agitado de hoje, ser multitarefa é uma habilidade altamente valorizada. Parece que sempre estamos fazendo várias coisas ao mesmo tempo, seja respondendo a e-mails enquanto ouvimos música, assistindo a vídeos enquanto fazemos exercícios, ou até mesmo conversando no telefone enquanto cozinhamos o jantar. 

No entanto, será que realmente somos eficazes na multitarefa? E quais são os limites da nossa capacidade de realizar várias tarefas simultaneamente? 

Neste artigo, exploraremos a ciência por trás da multitarefa e os desafios que ela apresenta para o nosso cérebro e desempenho.

Você também vai descobrir quais as consequências de não respeitar os limites naturais do nosso cérebro e por fim, entender se vale a pena ou não ser multitarefa. 

O que é Multitarefa?

Antes de mergulharmos nos detalhes científicos, é importante entender o que exatamente significa multitarefa. 

Ser multitarefa é ter habilidade de realizar mais de uma tarefa ao mesmo tempo, seja física ou mental. 

É a ideia de que podemos dividir nossa atenção e executar várias atividades simultaneamente.

Normalmente, o senso comum atribui essa habilidade mais comumente às mulheres, porém existem homens que também têm a tendência de realizar várias tarefas ao mesmo tempo.

Embora na agitação moderna ser multitarefa possa ser algo positivo, vale destacar que, com o tempo, esse costume pode deixar de ser saudável, sobretudo se não tiver limites. 

A seguir, vamos falar sobre como o cérebro humano processa essa super habilidade moderna. 

O cérebro e a multitarefa

Jovem mãe cuidando do filho enquanto come e trabalha.

O cérebro humano é uma maravilha da natureza, mas também tem seus limites, afinal, é humano e não uma máquina.

Quando realizamos várias tarefas ao mesmo tempo, estamos exigindo muito do nosso cérebro. Sei que você já deve ter ouvido falar que usamos apenas um percentual de nosso cérebro e tudo bem exercitar sua mente para trabalhar mais e melhor. 

No entanto,o nosso cérebro tem uma capacidade limitada de processamento de informações, e estar constantemente realizando várias tarefas ao mesmo tempo pode sobrecarregá-lo.

Estudos mostram que, quando alternamos entre tarefas, nosso cérebro gasta tempo e energia para se ajustar a cada nova atividade. Isso é conhecido como “custo de alternância” e pode resultar em uma diminuição na eficiência e na qualidade do trabalho. 

Portanto, embora possamos pensar que estamos sendo mais produtivos ao fazer várias coisas, na realidade, podemos estar diminuindo nossa produtividade.

É aquela famosa situação em que você faz várias coisas, mas nada sai de fato bem feito, com a qualidade que seria se você se concentrasse em uma atividade por vez. 

Os limites das multitarefas

Um dos principais pontos em ser multitarefas é que tudo tem seus limites, e a ciência nos mostra claramente isso. 

Atualmente, existe um aumento significativo de doenças psicológicas, novos distúrbios sendo descobertos a todo momento, além de aumento do estresse patológico. 

Entre eles, podemos citar o famoso TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade), Espectro Autista, Síndrome do Pensamento Acelerado, e muito mais. 

Isso pode ter relação com o grande aumento de estímulos que nosso cérebro sofre com nossa inclinação a fazer várias coisas ao mesmo tempo.

É importante lembrar que não só as atividades aumentaram, mas também o acesso a informação, interação excessiva através das redes sociais e a pouca ou nenhuma limitação ao barulho constante de música, vídeos, programas de TV e outros estímulos. 

A seguir, vamos falar sobre alguns efeitos colaterais da busca constante por ser multitarefas na sociedade atual.  

Redução da Qualidade do Trabalho

Um dos principais limites da multitarefa é a redução na qualidade do trabalho ou da atividade principal que está sendo realizada. 

Quando nos dividimos entre várias tarefas, é difícil manter o mesmo nível de atenção e concentração em cada uma delas. Isso pode levar a erros e a uma menor qualidade de execução.

Um dos exemplos mais sérios disso é falar ao telefone e dirigir, ação que é considerada um crime de trânsito na legislação brasileira. 

No entanto, será que ouvir música e dirigir ao mesmo tempo também não pode tirar a sua atenção da tarefa principal, que é concentrar-se no trânsito?

É claro que a maioria das pessoas consegue fazer essas duas atividades muito bem, mas é importante analisar a fundo se realmente não há nenhuma interferência na concentração. 

Aumento do Estresse

A prática de multitarefas constante pode aumentar os níveis de estresse, pois mantém o funcionamento máximo de concentração por muito tempo.

Nosso cérebro está constantemente alternando entre tarefas, mesmo que essa movimentação seja quase imperceptível e automática para nós.

Essa atividade constante pode criar um ambiente de constante pressão, gerando níveis mais altos do hormônio chamado cortisol. 

O cortisol é a substância produzida pelos neurônios que gera o estresse, quanto mais tempo você realiza várias atividades ao mesmo tempo, maior o nível de cortisol, o que gera o estresse crônico.

Além da irritação pontual e cansaço, o estresse crônico pode ter efeitos negativos na nossa saúde física e mental, interferindo nas relações pessoais e no sono. 

Menos Criatividade e Inovação

Ser multitarefa também pode prejudicar nossa capacidade criativa e habilidade para criar algo novo ou achar uma nova alternativa para alguma atividade. 

A criatividade muitas vezes requer um foco profundo e uma imersão completa em uma única tarefa. 

Quando estamos constantemente mudando de uma atividade para outra, é difícil alcançar esse estado de fluxo criativo.

É como se entrássemos em um estado de “piloto automático”, onde realizamos a tarefa do jeito que nosso cérebro já está acostumado, sem dar asas à imaginação ou fazer novas descobertas. 

Aumento da fadiga mental

Jovem com aspecto estressado diante do seu notebook.

Alternar entre tarefas pode ser mentalmente exaustivo, devido a movimentação extra que isso exige de nosso cérebro.

A longo prazo, esse hábito só pode levar a uma fadiga mental que reduz ainda mais nossa capacidade de realizar tarefas com eficácia. 

Por esse motivo, ser multitarefa o tempo todo sem dar o devido descanso ao cérebro pode transformar essa fadiga em completo esgotamento mental.

O esgotamento mental, por sua vez, pode levar a inúmeras doenças e problemas psicológicos sérios, bem como a redução da capacidade de interagir socialmente e reagir adequadamente a situações comuns do cotidiano. 

Menor retenção de informação

Estudos mostram que realizar várias atividades ao mesmo tempo pode afetar negativamente a nossa capacidade de reter informações. 

Quando estamos dividindo nossa atenção entre várias tarefas, é mais difícil lembrar detalhes e informações importantes.

Isso acontece principalmente quando fazemos coisas que são novas ou que ainda estamos em processo de aprendizagem. 

O cérebro sobrecarregado pode não conseguir assimilar todos os detalhes de uma nova atividade ou todas as informações que está recebendo. 

Por fim, essa deficiência na retenção de informações pode afetar seriamente o processo de aprendizagem e também reduzir significativamente a produtividade e qualidade das tarefas. Assim, ser multitarefas nessa situação acaba sendo como aquele velho ditado: o tiro sai pela culatra! 

Como melhorar a produtividade

Bem, se você tem o costume de fazer várias coisas ao mesmo tempo e, provavelmente, se orgulha disso, deve estar se perguntando o que fazer. 

Mas calma. Embora a habilidade de ser multitarefa tenha seus limites, não significa que devemos abandoná-la completamente. 

Isso porque ela é muito útil atualmente, onde quase sempre precisamos dar nosso máximo e estamos envolvidos em vários projetos ao mesmo tempo. 

Ser proativo ainda é uma qualidade muito desejada, portanto, podemos adotar estratégias para melhorar nossa produtividade e minimizar os efeitos negativos dessa prática. 

Veja algumas maneiras de extrair o melhor dessa habilidade sem sobrecarregar o seu cérebro: 

  • Priorize tarefas: Em vez de tentar fazer tudo ao mesmo tempo, priorize suas tarefas. Concentre-se em uma tarefa de cada vez e conclua-a antes de passar para a próxima. Isso permite que você dê toda a sua atenção a cada atividade.
  • Use intervalos de descanso: Faça pausas regulares para descanso. O cérebro precisa de momentos de relaxamento para se recuperar e rejuvenescer. Intervalos curtos podem melhorar a eficiência quando você voltar ao trabalho.
  • Evite distrações: procure minimizar as distrações ao seu redor. Desligue notificações de dispositivos eletrônicos e crie um ambiente propício para a concentração.
  • Pratique a mindfulness: A prática de mindfulness pode ajudar a melhorar a concentração e reduzir a necessidade de multitarefa. Aprender a estar presente no momento pode aumentar sua produtividade.

É importante lembrar que nem todas as pessoas possuem essa habilidade e que isso está certo também. 

Afinal, nem todos são iguais e realizar uma atividade por vez não é necessariamente um defeito. 

Pelo contrário, atualmente podemos dizer que a pessoa que consegue se satisfazer realizando de maneira concentrada uma única tarefa também possui uma característica admirável: a capacidade de se concentrar em meio a tantas distrações disponíveis. 

Multitarefa: ser ou não ser, eis a questão

Mulher multitarefa fazendo jantar e vendo o notebook.

A ciência por trás da habilidade de ser multitarefa revela que, embora possamos acreditar que somos mestres na arte de realizar várias tarefas ao mesmo tempo, nosso cérebro tem limites. 

Realizar várias tarefas ao mesmo tempo, por longos períodos e sem descanso pode levar a uma diminuição na qualidade do trabalho, aumento do estresse e fadiga mental. 

No entanto, ao reconhecer esses limites e adotar estratégias para melhorar a produtividade, podemos encontrar um equilíbrio que nos permita realizar várias tarefas de forma mais eficaz.

É importante que você avalie a fundo a melhor maneira que as coisas acontecem para você. Naturalmente, você é uma pessoa que produz melhor ao fazer várias coisas ao mesmo tempo? 

Se sim, ser multitarefa respeitando seus limites pode ser uma boa estratégia para ter mais produtividade. 

No entanto, lembre-se de que, às vezes, a melhor maneira de ser produtivo é focar em uma coisa de cada vez. 

Portanto, escolha sabiamente, respeite sua maneira de ser e gerencie sua proatividade com cuidado.

Os malefícios de ser multitarefa
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
Pessoa desanimada em frente ao notebook

Superando o perfeccionismo e abraçando a progressão

Next Post
Mulher sorrindo de bem com a vida, com a autoestima em dia

Autoestima positiva: 7 passos práticos para transformar sua vida

Related Posts