Estresse crônico no corpo e na mente

Efeitos do estresse: mulher com as mãos na cabeça em sinal de preocupação.
Mulher com expressão desanimada, com os braços em volta do corpo e cabeça baixa.

O estresse é uma parte inevitável da vida moderna. Desde os prazos no trabalho até às pressões financeiras e as demandas familiares, todos nós experimentamos estresse em algum momento. 

No entanto, o que muitos não percebem é que o estresse pode ter efeitos profundos e nocivos no corpo e na mente.

Estudos comprovam há muito tempo que os efeitos devastadores do estresse são o mal do século, pois causam doenças graves quando não tratado de maneira correta. 

Neste artigo, vamos falar sobre a importância da conscientização em relação aos efeitos nocivos do estresse em excesso, destacando a importância de reconhecer, compreender e gerenciar essa condição que afeta tantos de nós.

O Estresse como uma Resposta Natural

Em primeiro lugar, é necessário compreender que o estresse é uma resposta natural do corpo a situações desafiadoras. 

Quando enfrentamos uma ameaça percebida, o corpo entra em modo de “luta ou fuga”, liberando hormônios como o cortisol e a adrenalina

Essa resposta nos ajuda a lidar com situações de perigo iminente, aumentando nossa força, foco e energia.

Dessa maneira, é importante entender que o estresse é inevitável, porém, em grandes quantidades e com frequência acima do normal necessário, ele se torna a pior das doenças emocionais e mentais. 

Além disso, estudos comprovam que o estresse crônico tem ligação direta com doenças físicas, como problemas de coração, degeneração mental, desregulação hormonal e de sono, entre outras. 

O Estresse Crônico: Um Problema Crescente

Homem sentando, com as duas mãos na cabeça, em sinal de preocupação e estresse.

Dessa maneira, o grande problema surge quando o estresse se torna crônico, ou seja, deixa de ser uma reação para acontecimentos específicos para se tornar um companheiro infalível no dia a dia.

Nos tempos modernos, o estresse não é mais desencadeado apenas por ameaças físicas, como predadores, mas também por preocupações constantes.

Essas podem ser coisas comuns do cotidiano, como prazos apertados, relacionamentos tensos e problemas financeiros. 

O corpo humano não consegue distinguir entre o estresse físico natural e o estresse emocional, o que significa que ele reage da mesma forma, independentemente da causa. 

Estresse Crônico: efeitos no corpo

Quando estamos constantemente sob estresse, nosso corpo age como se estivesse em modo de alerta constante, sem nunca relaxar ou descansar.

Isso pode levar a uma série de problemas de saúde, como pressão arterial elevada, problemas digestivos e enfraquecimento do sistema imunológico, entre outras patologias. 

Além disso, o estresse crônico também afeta nossa saúde mental, sendo o principal causador de doenças degenerativas, ansiedade, depressão e dificuldade de concentração. 

É importante entender que o estresse não é saudável a longo prazo, e é fundamental encontrar maneiras de gerenciá-lo.

As formas de enfrentamento também precisam ser saudáveis, como a prática de exercícios, meditação ou hobbies relaxantes.

Essas atividades, além de divertidas, também são excelentes para proteger nossa saúde física e mental.

Veja a seguir como o estresse crônico age em determinadas regiões do corpo humano e como ele pode interferir diretamente em nossa saúde. 

1. Sistema Cardiovascular

Estudos comprovam que o estresse crônico pode ter um impacto significativo no sistema cardiovascular.

A liberação constante de hormônios do estresse pode aumentar a pressão arterial e o risco de doenças cardíacas. 

Além disso, o estresse também pode levar a pessoa a recorrer a hábitos pouco saudáveis, como o consumo excessivo de álcool e tabaco que proporcionam uma breve sensação de alívio, mas que no entanto, são prejudiciais ao coração.

2. Sistema Imunológico

O estresse crônico também enfraquece o sistema imunológico, tornando o corpo mais suscetível a infecções e doenças. 

Isso significa que as pessoas estressadas são mais propensas a contrair resfriados, gripes e outras doenças, e têm uma recuperação mais lenta quando ficam doentes.

3. Sistema Digestivo

O estresse também pode afetar o sistema digestivo de várias maneiras diferentes e igualmente nocivas a longo prazo.

Ele pode causar problemas como indigestão, refluxo ácido e até mesmo distúrbios alimentares. 

Além disso, o estresse pode afetar a absorção de nutrientes, prejudicando a saúde geral e enfraquecendo ainda mais a imunidade, o corpo e também a mente.

4. Sistema Nervoso

Por fim, o estresse crônico ainda pode desgastar o sistema nervoso, levando a sintomas como insônia, dores de cabeça, ansiedade e depressão. 

Ele também pode afetar a função cognitiva, tornando mais difícil se concentrar, ter um raciocínio lógico e tomar decisões assertivas.

Além disso, o estresse afeta a ordem natural das emoções, o que faz com que a pessoa fique mais reativa e menos racional. 

Estresse Crônico: efeitos na mente

Mulher com expressão alterada e as duas mãos na cabeça, em sinal de estresse extremo.

Além dos efeitos nocivos do estresse crônico no corpo físico, os estragos também podem ser observados na saúde mental. 

Estudos comprovam que várias doenças que hoje são consideradas graves e gravíssimas no amplo estudo da mente humana podem ter início com cargas não controladas de estresse. 

A seguir, você vai conhecer os principais distúrbios que podem acometer a mente humana que é frequentemente submetida a doses elevadas de estresse com frequência. 

1. Ansiedade

O estresse é frequentemente associado à ansiedade, considerado em muitos estudos o seu precursor principal.

Preocupações constantes, medos e pensamentos negativos podem se tornar parte comum da vida diária de alguém sob estresse crônico. 

A ansiedade pode ser debilitante, interferindo na qualidade de vida, nos relacionamentos e na capacidade de tomar decisões assertivas.

2. Depressão

O estresse prolongado também é um fator de risco para a depressão, além de também ser apontado como precursor na maioria dos casos.

Os sentimentos de tristeza, desesperança e falta de interesse pelas atividades podem se desenvolver muito mais facilmente quando o estresse não é gerenciado adequadamente.

A depressão é apontada como um dos males do século, juntamente com o estresse por si só e com a ansiedade, além de ser uma das causas apontadas para o risco de suicídio ou crimes passionais. 

3. Problemas de Sono

Sim, o estresse também pode perturbar o sono, deixando as noites mais longas, com cada vez mais dificuldade de adormecer e, mesmo dormindo, com incapacidade de manter um sono reparador. 

A falta de sono adequado pode agravar os problemas de saúde física e mental, além de gerar uma sensação de cansaço extremo, físico e mental.

Com o tempo, os efeitos do estresse e da falta de descanso se unem, virando um ciclo vicioso e extremamente perigoso para a saúde da mente e, posteriormente, afetando o corpo também. 

4. Comportamentos de Risco

Por fim, vale destacar que algumas pessoas recorrem a comportamentos de risco, como consumo excessivo de álcool ou uso de drogas lícitas ou ilícitas, como forma de lidar com o estresse. 

Essas estratégias de enfrentamento não são nada saudáveis ou recomendadas a longo prazo, pois podem levar a problemas de dependência e agravar ainda mais os efeitos do estresse.

Pense que depois podem ser dois motivos para se estressar, pois além do enfrentamento adequado das situações que geram o problema, a pessoa também precisa enfrentar a luta diária para abandonar os vícios ou as consequências em seu corpo. 

Os vícios são como uma fuga passageira, mas que a longo prazo, trazem ainda mais problemas e situações geradoras de estresse.

Doenças decorrentes do estresse.

Como Lidar com o Estresse

Agora que entendemos os efeitos do estresse tanto no corpo como na mente, chegou a hora de aprender o mais importante: como gerenciar esse problema. 

Afinal, você já deve saber que a vida de ninguém é perfeita e que invariavelmente, irão existir situações que são desafiadoras e um pouco estressantes.

Pois bem, continue a leitura a seguir para aprender algumas algumas estratégias comprovadas para ajudar a aliviar o estresse crônico: 

  • Prática de mindfulness: A meditação mindfulness pode ajudar a reduzir a ansiedade e o estresse, ensinando-o a viver o momento presente e a não se preocupar constantemente com o futuro.
  • Exercício regular: A atividade física é uma maneira eficaz de aliviar o estresse, liberando endorfinas que promovem uma sensação de bem-estar.
  • Estabelecimento de limites: Aprenda a dizer “não” quando necessário. Estabelecer limites saudáveis ajuda a evitar o excesso de compromissos e o esgotamento.
  • Conexão Social: Compartilhar seus sentimentos com amigos e familiares pode ser uma maneira valiosa de lidar com o estresse. O apoio emocional é fundamental.
  • Terapias Complementares: Considere a busca de terapias complementares, como a terapia cognitivo-comportamental (TCC) ou a ioga, que têm demonstrado eficácia no tratamento do estresse e de problemas relacionados.

O estresse é gerenciável

Homem sentado em um sofá, com a cabeça baixa e as mãos unidas em frente ao rosto. O estresse pode ser gerenciável.

Como você descobriu ao longo deste artigo e também já deve saber com o seu cotidiano, o estresse é uma parte inevitável da vida. No entanto, ele precisa dominar nossa saúde e bem-estar. 

Reconhecer os efeitos nocivos do estresse no corpo e na mente é o primeiro passo para combatê-lo.

Com estratégias adequadas de enfrentamento, como a prática do mindfulness, o exercício regular e a busca de apoio social, podemos reduzir o impacto do estresse em nossas vidas e melhorar nossa qualidade de vida. 

Você pode achar que praticar uma meditação por dez minutos não faria diferença alguma nos seus problemas, mas não subestime o poder do autocuidado e da busca por ajuda profissional quando necessário. 

Sua saúde mental e física agradecerão e, portanto, os efeitos do estresse terão bem menos impacto sobre a sua saúde física e mental.

Meditação guiada para diminuir o estresse e ansiedade

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
Mulher com fones de ouvido, escrevendo e usando o notebook. Atividades que gostamos é uma ótima forma de relaxamento.

Relaxamento: 10 técnicas poderosas e acessíveis para qualquer pessoa

Next Post
Duas mãos indo ao encontro uma das outras.

Resiliência emocional: como lidar com os obstáculos

Related Posts