Criatividade: 3 truques para ter mais persistência

arte fantasia com um cérebro colorido.

Você já se perguntou como as pessoas são capazes de criar propagandas criativas e emocionantes? Já se pegou admirando escritores e artistas por suas obras cheias de criatividade?

Com certeza, a criatividade é uma das habilidades mais importantes atualmente e se destacar nisso é um desafio para muitos. Afinal, ser diferente, não fazer mais do mesmo e apresentar bons resultados em meio a tantas informações é um feito para se orgulhar. 

Além disso, ser criativo não só é útil para questões profissionais, como  também tem um papel importante em outros aspectos da vida. 

A grande sacada é que ser criativo nem sempre é uma característica que simplesmente nasce com a pessoa. Algumas pessoas têm mais facilidade, outras menos, no entanto, a criatividade é uma habilidade possível de ser cultivada.

Para isso, é preciso ter persistência e confiar no processo. Neste artigo, vamos desvendar como a ciência do cérebro funciona e como despertar o processo criativo com paciência e equilíbrio. 

Prepare-se para desbloquear ou aprimorar sua criatividade com dicas simples e comprovadas pela neurociência. Vamos lá? 

Etapas do processo criativo

Duas crianças brincando com gelatina e ovos.

Em primeiro lugar, é importante entender como o cérebro humano funciona quando ativa sua criatividade. Esse órgão incrível é formado por bilhões de neurônios que são interligados entre si, formando as redes neurais biológicas. 

Durante o processo criativo, três dessas redes neurais são ativadas. São elas:

  • Rede padrão: responsável pela geração de ideias e pelo processo imaginativo. 
  • Rede de controle executivo: responsável pela avaliação das ideias e pela decisão. 
  • Rede de saliência: responsável por diferenciar as ideias mais importantes e contribuir para a colaboração entre as duas primeiras redes neurais. 

Para que um processo criativo aconteça, é necessário que a pessoa tenha algum conhecimento teórico e prático sobre algo. A partir dessa base, o processo criativo pode ser dividido em cinco etapas: 

  1. Preparação: esse é o momento de adquirir informação e conhecimento sobre o problema/habilidade a ser desenvolvida. 
  2. Incubação: nessa fase, o cérebro processa as informações de maneira inconsciente, mesmo que você não esteja trabalhando na questão.
  3. Iluminação: é nessa fase que a solução começa a surgir na sua mente consciente. Muitas pessoas pensam que a ideia começa aqui, mas ela acontece devido aos processos anteriores.
  4. Avaliação: nesse momento acontece a avaliação da ideia ou solução. Também é aqui que você começa a procurar validação, seja de outras pessoas ou de estudo adicionais.
  5. Implementação: finalmente chega o momento de tirar a ideia do papel e colocar em prática o que foi imaginado. 

Criatividade e persistência

Bem, você já deve saber que nem sempre uma ideia dá certo na primeira tentativa, por mais mirabolante que ela possa parecer. 

É nesse momento que a importância da persistência aparece, pois quando você insiste em praticar algo, seu cérebro fortalece as conexões neurais relevantes para aquela atividade. 

Por isso é que existe o famoso ditado: a prática leva a perfeição. Esse não é apenas um ditado popular qualquer, mas tem total respaldo da neurociência

Afinal, toda vez que você pratica algo, você fortalece a memória das sinapses cerebrais, o que deixa seu cérebro mais rápido para processar e executar as informações. 

Ou seja, quanto mais você insistir em pensar e criar, mais habilidade criativa você terá e mais eficaz seu cérebro se torna na geração de novas ideias. 

Aprender com o fracasso

Além da importância comprovada da persistência no funcionamento do cérebro em um processo criativo, ela também ensina a lidar com o fracasso. 

Quando algo dá errado, é natural sentir aquele desânimo, vontade de desistir, sensação de inutilidade e derrota. 

No entanto, a persistência fortalece o aprendizado, fazendo com que o resultado fique cada vez melhor, até se tornar positivo. 

Aqui cabe outro ditado popular: não pare até se orgulhar. 

Isso porque, mesmo que cada tentativa pareça um fracasso, o fortalecimento do processo de execução está acontecendo no seu cérebro. Ele registra essas tentativas, erros e acertos como experiências valiosas para atingir o objetivo final. 

Uma das histórias mais geniais que comprova essa teoria é o fato de que Thomas Edison tentou criar a lâmpada mais de mil vezes. Bem, todos conhecemos o resultado de sua persistência, não é mesmo?

Portanto, acredite, a criatividade é uma habilidade que requer prática e persistência, acredite no processo. 

3 dicas para ser persistente na busca pela criatividade

Uma pessoa deitada lendo um livro. A leitura é um ótimo antídoto para o ter mais criatividade.

Agora que você já sabe tudo sobre como o cérebro humano desenvolve a criatividade, chegou o momento de colocar a mão na massa. 

Como você viu, a persistência é um pré-requisito para ser mais criativo, mas como praticar isso no dia a dia?

A seguir, você vai descobrir três dicas simples e eficientes para você ser persistente e tornar seus processos criativos mais fáceis.

Saia da rotina

A primeira dica é sair da rotina, buscar um lugar além da sua zona de conforto ou simplesmente mudar o cenário.

A criatividade pode ser despertada rapidamente se você buscar novas experiências, lugares ou aromas. 

Isso mesmo, se você sente que está sem ideias no escritório, experimente dar uma voltinha no jardim. 

Pode ser o suficiente para você se inspirar e ver as coisas sob uma nova perspectiva, além de fazer bem para o seu emocional. 

Seja um especialista 

Em segundo lugar, uma dica muito importante é estudar mais sobre a sua área de atuação, afinal, esse processo é essencial nas duas primeiras fases do processo criativo.

Isso porque, quanto mais informação você tem sobre um assunto, mais você treina as sinapses cerebrais necessárias. Dessa maneira fica muito mais fácil ter ideias criativas e inovadoras.
Mesmo que você seja uma pessoa multitarefas, com habilidade para absorver vários assuntos, vale a pena se aprofundar mais em algo específico. Afinal, isso é o que vai te diferenciar e destacar os seus resultados. 

Aprenda a descansar

Por último, mas não menos importante, o terceiro truque é aprender a descansar. Pode parecer estranho dizer isso quando se fala de persistência, pois a ideia é continuar insistindo, não é mesmo?

No entanto, lembre-se que o processo criativo tem a segunda fase chamada incubação, onde as informações adquiridas são processadas inconscientemente.

Isso acontece melhor quando o cérebro está em descanso, ou seja, dormir bem, relaxar e meditar podem ser ótimas maneiras de melhorar a sua criatividade.

Portanto, permita-se dar um passo para trás, descansar a cabeça longe dos estímulos excessivos e com certeza você vai ter ideias surpreendentes e inovadoras. 

Criatividade com resiliência

Mulher sentada em um sofá, com um notebook no colo, com os braços erguidos comemorando.

A resiliência é mais um termo que está super em alta para vários aspectos da vida e na busca pela criatividade não é diferente.

Essa habilidade não está reservada apenas para gênios com QI elevado ou artistas renomados, mas sim, pode ser desenvolvida através da persistência. 

Se você está em busca de facilitar seu processo criativo, experimente colocar em prática essas três dicas para ser mais persistente. 

Comece hoje mesmo e prepare-se para uma jornada empolgante, onde os resultados poderão ser vistos dia após dia. 

É importante dizer que cada pequeno progresso importa, já que as mudanças cerebrais não acontecem do dia para a noite, mas sim com prática. 

Por esse motivo, celebre de maneira genuína cada nova ideia, cada vez que repetir uma tarefa e cada pequena melhoria que ela apresentar.

Dessa maneira, você manda reforços positivos para o seu cérebro, fortalecendo ainda mais a fixação do processo criativo. 

Por fim, lembre-se de que a persistência é essencial, um processo diário que destranca a criatividade dia após dia e destrava o potencial que está em todos nós! 

Como melhorar sua persistência – Pablo Marçal
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
Cérebro humano 3D colorido

Vencendo o bloqueio criativo: 3 dicas simples

Next Post
Duas mulheres conversando e gesticulando.

Comunicação não verbal: como decifrar gestos e expressões

Related Posts